5 Chás Caseiros, Naturais e Medicinais para Inflamação no Útero

Publicidade

Veja como preparar e usar 5 chás para inflamação no útero

A inflamação do útero pode acontecer tanto na parte do endométrio, como também no colo do útero. O grande problema é que esse problema pode estar ligado desde a condições crônicas — como a endometriose — até casos mais graves, como uma doença sexualmente transmissível (DST) ou câncer de útero.

Se essa questão não for tratada corretamente, a infecção pode se espalhar e atingir os ovários e até mesmo causar infertilidade. Em alguns casos, a retirada do útero pode ser a única saída.

A melhor forma de evitar isso é justamente fazendo exames regulares junto de um ginecologista, que poderá dizer se está tudo bem ou não. Caso haja alguma inflamação, os remédios da natureza também podem ajudar.

Por isso, veja a seguir 5 chás para inflamação no útero e veja como eles podem ajudar.

1. Chá de carqueja

Apesar de ser conhecida por seu sabor forte e pouco agradável, a carqueja é um ingrediente importante para quem está sofrendo com inflamação no útero. Em primeiro lugar, ele melhora a circulação sanguínea, o que ajuda a diminuir e a combater a infecção ao levar células de defesa com mais facilitada para a área afetada.

Ele também é uma bebida que age diretamente no útero. Sendo adstringente, favorece a realização de contrações uterinas, o que pode colaborar para expulsar ou diminuir os sintomas desse tipo de problema.

Justamente por causa de sua atuação ela não é recomendada, sob nenhuma hipótese, para gestantes — até porque, nesse caso, uma inflamação no útero requer o dobro de atenção. Ele também deve ser evitado por lactantes, hipertensos, diabéticos e pessoas com baixa imunidade.

Como fazer?

Comece fervendo meio litro de água filtrada e, logo após o ponto de fervura, desligue o fogo. Imediatamente após, acrescente 10 gramas ou 2 colheres de sopa das folhas de carqueja. Tampe o recipiente por 10 minutos e, em seguida, coe e beba. A recomendação é de ingerir a cada 6 ou 8 horas.

2. Chá de tanchagem

O chá de tanchagem é outro entre os 5 chás para inflamação no útero por causa de suas propriedades adstringentes, favorecendo as contrações uterinas. Também é anti-inflamatório e analgésico, além de contribuir para a eliminação de toxinas por parte do organismo.

Tudo isso associado à capacidade cicatrizante e sedativa da bebida faz com que os sintomas fiquem mais toleráveis e a recuperação, mais rápida. Assim, é uma forma de se livrar dos problemas trazidos pela infecção.

Novamente, grávidas devem evitar a bebida, assim como quem tem problemas intestinais, especialmente a prisão de ventre e as fezes completamente ressecadas. Quem tem alergia ao pólen também não deve consumir a bebida.

Receita

Para preparar essa bebida, misture um litro de água e com 20 gramas de folhas da tanchagem. Cozinhe em fogo baixo e desligue após levantar fervura. Em seguida, cubra o recipiente e deixe por 10 minutos ou até amornar. Coe e sirva, mas, se preferir, pode adicionar um pouco de mel. Ingira, no máximo, quatro vezes por dia.

3. Chá de cavalinha

O chá de cavalinho é conhecido por ter, confirmadamente, propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas. Assim, ele ajuda a reduzir o inchaço e a inflamação em si, além de contribuir para eliminar uma possível causa do problema e evitar que a situação se alastre.

Ele ainda atua como depurativo, cicatrizante e analgésico, diminuindo as dores. Seus antioxidantes colaboram para uma circulação melhor e uma recuperação mais rápida dos tecidos.

É contraindicado para gestantes e lactantes, bem como para quem sofre com problemas na função renal ou na cardíaca. Hipotensos devem evitar seu consumo devido à grande concentração de potássio e o consumo intenso de água é recomendado para todos.

Receita Fácil

Para tirar o máximo de suas propriedades, ferva meio litro de água e, em seguida, acrescente 2 colheres de sopa dessa folha. Desligue o fogo imediatamente e deixe tudo tampado por 5 minutos, no máximo.

Quando amornar, coe e ingira. É recomendado não guardar a bebida na geladeira e você deve ingerir, no máximo, 3 vezes ao dia.

4. Chá de menta

O chá de menta não apenas possui um sabor bastante agradável, mas também atua como analgésico. Seu consumo é capaz de relaxar os músculos e, também, evita dores em geral. Para quem está sofrendo com inflamações na região, é uma boa pedida.

Ele também fortalece o sistema imunológico, de modo a ajudar a combater mais facilmente qualquer infecção.

Muito utilizado após das refeições no Oriente, ele não tem grandes contraindicações. Entretanto, gestantes e lactantes devem procurar o médico.

Passo a Passo

Para preparar essa bebida, comece fervendo o equivalente a uma xícara de água. Enquanto o líquido atinge o ponto de fervura, rasgue folhas de menta. Elas devem estar tão frescas quanto possível, então faça o chá no mesmo dia em que comprá-las ou colhê-las de sua horta.

Quando a água ferver, preencha a xícara e tampe imediatamente. Deixe por repouso por 3 minutos e consuma ainda morno. Se preferir, adicione um pouco de mel.

5. Chá de folhas de goiabeira

O chá com folhas de goiabeira é uma bebida conhecida por muitas etnias e utilizado há séculos. Ele é indicado para inflamações no útero, em primeiro lugar, porque tem ação anti-inflamatória, cicatrizante e analgésica. Além disso, também tem propriedades antissépticas, evitando a propagação ou piora da infecção.

Sua ação diurética favorece a eliminação de toxinas e ele ainda favorece uma adequada regulagem do funcionamento uterino.

Deve ser evitado por gestantes e lactantes e não é recomendado para quem tem problemas com constipação intestinal.

Como fazer?

Para preparar essa bebida, ferva um litro de água e, logo em seguida, adicione 20 gramas de folha de goiabeira. Elas devem ser estar frescas, então prefira colhê-las o mais breve possível em relação à preparação.

Cubra a mistura por 10 minutos e, em seguida, coe e ingira a bebida. Tome entre 4 e 5 xícaras por dia.

Esses 5 chás para inflamação no útero ajudam na regulagem uterina, no alívio de sintomas e no combate ao agente da infecção em geral. Porém, é fundamental conversar com o seu médico para garantir que tudo seja, efetivamente, seguro!

Conte nos comentários se você tem alguma experiência ou dúvida sobre esse assunto!

2 Comments

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe!

Seus amigos vão adorar! :)